quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Beltane

Ontem à noite celebramos nosso Beltane. Fizemos quase de tudo, mas acabei tendo que comprar os materiais no final do dia, e como tivemos uma convidada de última hora, uma amiguinha do Lucas muito querida, reduzimos as coisas, pois ela não é pagã, e não quis confundir sua cabecinha. Mas mantivemos nossos rituais. Preparamos nosso altar com flores frescas, uma vela vermelha simbolizando o fogo e o Deus, flores miúdas dentro do caldeirão simbolizando a Deusa e incenso de sândalo que geralmente é meu preferido. Lucas ajudou a colar várias figuras sobre Beltane na parede (sempre plastifico, para poder usar nos anos seguintes) - inclusive uma da Elsie & Pooka - dá pra ver na foto acima, com Lucas segurando nosso mini-maypole improvisado, todo feliz. Ficou bem bonitinho, do jeito que meu filho gosta, colorido e lúdico.














Depois, fomos trançar nosso maypole. Como não deu tempo de comprar um mastro grande (minha idéia era comprar um cabo grande de madeira, e com o Lucas, colocar em um vaso cheio de argila, para ficar de pé, firme. Fica pro ano que vem), improvisei com nossa vassoura de piaçava - acabou sendo bem típico. Comprei 4 fitas de 1 metro cada, em dois tons de vermelho representando Deus e dois tons de verde, representando a Deusa. Rodrigo pregou todas juntas no alto do cabo, e depois eu, Rodrigo, Lucas e Aurora (nessa parte ela participou, pudera, irresistível!) fomos girando em torno e trançando até embaixo - já tinha explicado para o Lucas que isso simbolizava o namoro dos dois deuses, ele achou graça... Claro que não ficou com uma simetria perfeita (longe disso! ), mas a intenção é o que vale, e a diversão também. Amarrei tudo no final, e levamos para dentro, para perto do altar.

Em seguida, lá fomos nós preparar os sanduíches de rosas da bruxa Elsie. Tive que bater as pétalas e o cream-cheese no liqüidificador, e mesmo assim deu trabalho. Mas ficou gostoso, ainda que Lucas "covardemente" não quisesse comer mais do que uma dentada! :) Infelizmente, não deu tempo de preparar o açúcar, e também não deu para fazer o ritual da plantação da rosa. Já era tarde, e Aurora, não acostumada com esas novidades, estava inquieta por não participar de nada. De qualquer forma, a plantação deve ser feita de preferência em uma lua minguante, então logo poderei fazer da forma mais correta.

Depois que Aurora foi embora, abrimos o círculo para finalizar, com um ritual pedindo abundância em saúde e tudo mais para todos, especialmente para minha irmã Dedê, isso eu pedi muito por ela.

Lucas já sabe abrir e fechar o círculo invocando os quatro elementos, tocando-os com a varinha, sempre agradece à Deus e ao Deus por nossas vidas e pede proteção. Acho bonito vê-lo com essa intimidade, estamos conseguindo passar para ele o amor do lado espiritual, sem temer. A cada Sabbath, vou recontando a lenda da Roda do Ano, e assim reforçando sua memória a respeito. Parece que está dando certo!

1 comentários:

Vitóriah disse...

Olá Nydia^^! Que lindinho ficou o rito, apesar da participante de ultima hora, achei muito criativo. Muito bem adaptado e com imenso respeito com a religiosidade da visitante. Não podia ser melhor. Entendo que seja complicado com a participação de um não-bruxo, mas no fundo vemos que até nisso a Deusa se faz presente. Parabéns!