sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Questões de cidadania e afins...

Já vivemos em um mundo bem egoísta e insensível, e se não tomarmos cuidado, acabamos indo pelo mesmo caminho sem perceber e levando nossas crias na garupa. Fiquei pensando nisso hoje, depois de ver uma conhecida jogando descaradamente na calçada um papel de sanduíche. Foi um ato tão reflexo que tenho a impressão que ela nem notou o que fez. As pessoas simplesmente não percebem o quanto ajudam a sujar a cidade. Será que fazem o mesmo dentro de casa? Arght...

Daí que fiz um balanço sobre como contribuo, com humildade, para um mundo menos poluído, e como passo a herança ao meu filho:



*Esse assunto do lixo jogado na rua passa muito longe da minha casa. Nunca fiz isso, e Lucas também não. É uma questão de ensinar desde pequenininho mesmo. Ele deixa o papel de bala no bolso da bermuda ou leva na mão, numa boa, até achar uma lixeira. Tão simples... fica parecendo que os outros gostam de sujar, ou tem preguiça mesmo. É tão chato ver a rua tomada de papéis e guimbas de cigarro sem necessidade, quando o que não faltam são lixeiras da Comlurb a cada esquina.

*Evito ao máximo pegar as famigeradas sacolinhas plásticas em supermercados e lojas. Tenho uma ecobag do Pão-de-Açúcar que é bonitinha, que sempre carrego dentro minha bolsa. Sempre que as compras são com poucos volumes, levo tudo dentro dela. Cem anos para uma sacola se decompor? Tô fora, não quero esse peso nas minhas costas.

*Reciclamos o lixo lá de casa. Toda caixa de leite, de suco, garrafas pet, caixas de ovos, jornais, etc, etc (e a lista é grande), tem destino certo. Lavo, deixo secar, coloco na lixeira especial de recicláveis, da Caixasnet, meus vizinhos! - eles têm todo tipo de caixas de papelão reciclável, a preços muito legais. A minha é uma média com 4 divisões internas para os 4 tipos de material, bem prática. A parte de separar fica por conta do Lucas, que aaaaaama fazer, se sente o máximo sendo um serzinho do bem. Daí, toda semana o pessoal da ONG Doe Seu Lixo passa no prédio e pega tudo dos moradores que participam. Tem também um site bacaninha, o Planeta Melhor, que dá todo o passo-a-passo sobre reciclagem, com dicas, endereços de coleta, enfim, tudo o que se precia saber para ser um bom ser humano.


Vocês vêem, é uma listinha mixuruca, mas é a nossa parte lá em casa. Tem muita gente que nem isso faz, e nem é por mal, é por não se tocar mesmo. O bacana é que sei que meu filho provavelmente vai ser um adulto consciente e justo nessa questão.

2 comentários:

Vitóriah disse...

Que coisa maravilhosa, pena que aqui onde eu moro, se não são outras pessoas que pegam para vender e sobreviver (às vezes no meio de sacos de lixos misturados) o lixo não é separado. Aqui em casa eu tenho um saco para os reciclados e outro para os orgânicos.
Acredito que facilita para os catadores, assim não precisam colocar suas mãos em coisas podres e malcheirosas.

Merry Meet!

Adesivos disse...

Muiro Legal!! Parabéns pelo post!