quinta-feira, 8 de maio de 2008

Samhain atrasado


Parece que todos meus sabbaths são postados com atraso... *sigh*

Já esperava que esse ano Dedê não estivesse mais com a gente quando Samhain chegasse. Tudo bem. Estava preparada, ainda que muito abalada, claro. De qualquer forma eu sentia que ela estava bem agora, curando seu espírito com a ajuda de nosso pai, então resolvi seguir com a celebração. Afinal, Lucas espera ansioso por cada sabbath, e não quis privá-lo deste.


Colocamos a foto de minha irmã junto com a de papai e de meus avós (e também a do Rambo, pastor-alemão do Rodrigo que vivia no sítio de meus sogros e que morreu ano passado), e duas velas, uma para a Deusa e outra para o Deus. À tarde fiz uma torta de maçã, e enquanto ela gelava no congelador, fizemos duas listas em papéis separados. Em uma, escrevemos tudo de ruim que não queríamos mais em nossas vidas, e na outra, tudo o que desejávamos no novo ano que começava. Claro que Lucas quis fazer suas próprias listas, e lá fomos nós. O engraçado é que ele disse que não tinha nada de ruim em sua vida, e só depois de muito pensar, acabou colocando que não queria mais ter amigdalite (seu karma...), e só - coisa boa, não é? Na outra lista, colocou que queria continuar brincando com seus amigos, conhecer muitos lugares, e ter sempre brinquedos e chocolates. :)


À noite, ele abriu o círculo como sempre, e acendemos nossas velas, pedindo proteção e licença aos guardiãos dos elementos, e a presença da energia de nossos ancestrais. Em seguida, jogamos as listas dobradas no caldeirão, uma de cada vez, e as deixamos queimar, carregando-as com as vibrações certas. Enquanto assistimos ao fogo arder, começamos a conversar sobre aquelas pessoas que estavam representadas nas fotos, que são tão importantes na minha vida, e contei ao Lucas histórias engraçadas do meu avô - tenho várias "em estoque".
Com meu filho no colo, senti uma calma muito grande me cercar, e uma sensação calorosa de que eles estavam conosco naquele momento. Acabou sendo um sabbath muito bom, tranqüilo, e que me deu conforto em relação à minha irmã. Comemos nossa torta e alguns cookies, conversamos um pouco mais, e por fim, Lucas fechou o círculo, agradecendo a presença dos guardiãos e dos ancestrais e mandando-os de volta em paz para seus lugares. Depois dei a ele o jantar, o banho da noite, e o pus para dormir, sereno.


Fiquei um pouco em frente ao altar depois, refletindo sobre o ano que passou e que culminou com a morte da Dedê, e senti que mais um ciclo tinha realmente se completado. A Roda girou mais uma vez.
*Imagem com poema bordado do site Dancing Goddess Dolls: "Todos viemos da Deusa, e para Ela devemos voltar, como uma gota de chuva que corre para o oceano. Todos viemos do Deus Sol, e para Ele devemos voltar, como um caule de trigo que cresce em direção ao céu."

2 comentários:

anfibia disse...

olá nydia!
obrigada pelo link, coloquei o seu lá no blog, ok?
achei tão singelo, bonito e profundo o sabat que partilhou com seu filho! parabéns. vou aprendendo daqui a introduzir meu menino (de 4 anos) nas celebrações tbm.
obrigada, seja abençoada

Green Womyn disse...

Depois dá uma olhada na minha "aquisição" da Dancing Goddess Dolls lá no blog...